Claudio e Tania
"NamourNamour"

domingo, 3 de fevereiro de 2013




No morrer da tarde,
 o mar, sem começo e nem fim.

A imensa paisagem,
como uma cidade, 


que não se pode dar a conhecer.Mas, trás a praia, nas inesperadas espumas,
pequenamente o veleiro.
Em suas luzes.

E, nas mãos um punhado de conchinhas brancas
de sal e sentimento.
http://almeritania.blogspot.com.br/

terça-feira, 24 de abril de 2012


Explorando a baia de Paraty




Saindo do Jabaquara pelo lado direito.








Paraty ao fundo


                                                    


Ventos de Outono










Novas Paisagens



A história em forma de poesia

segunda-feira, 23 de abril de 2012



 

Esta linda garça adora pousar nos barcos ancorados!

Só que depois deixa as suas "marcas": cocôs cor de rosa... por todo lado...
  

As cracas que moram na baia, também dão um trabalhão: teimam em grudar-se no fundo do casco que sempre precisa ser raspado, e toda ajuda é bem-vinda! (Igor e Miguel dando um força).


Com tudo isso somado aos demais preparativos, lá se vão quase dois dias, até poder levantar as velas.
           










Desta vez com novidade:
A vela grande pela primeira vez será içada!!

















 Bons Ventos!!

























Velejamos por toda a tarde:
Delícia a tanto tempo almejada!...

Ventos de outono: O veleiro, O Mar, e nós

video

video